Planeta Azul

1984

Independente

  1. Planeta azul (Mario Adnet/Juca Filho)

    Planeta azul

    (Mario Adnet/Juca Filho)

    Ficha técnica

    Joyce voz
    Mario Adnet voz e violões
    Nando Carneiro juno 60 (sintetizador)

  2. X-42 (Mario Adnet)

    X-42

    (Mario Adnet)

    Ficha técnica

    Mario Adnet violão, arranjo
    André Tandeta bateria
    Luizão Maia baixo
    Hugo Fatoruso juno 60 (sintetizador)
    Jaques Morelenbaum cello
    Rodrigo Campello guitarra
    Marcelo Bermardes sax soprano
    Marcos Amma percussão
    Damilton Viana percussão

  3. Bolero (Mario Adnet/Geraldo Carneiro)

    Bolero

    (Mario Adnet/Geraldo Carneiro)

    Ficha técnica

    Mario Adnet voz, violão, percussão, arranjo
    Claudio Infante bateria
    Arthur Maia baixo
    João Bosco piano fender
    Rodrigo Campello violão solo
    Marcos Amma percussão
    Mario Adnet, Pimpim, Eveline Hecker, Muísa Adnet, Cecília Spyer, Samanta e Chico Pupo vocal

  4. Reza Macunaíma (Mario Adnet/Juca Filho)

    Reza Macunaíma

    (Mario Adnet/Juca Filho)

    Ficha técnica

    Mario Adnet violão, percussão, arranjo
    Cláudio Wilner bateria
    Fábio Girão baixo
    Jaques Morelenbaum cellos
    Marcos Amma percussão
    Waldemar Falcão vento
    Mario Adnet, Lenine, Lula Queiroga, Tadeu Mathias, Pimpim, Caita Adnet, Maurício e Margarida Vianna coro

    Mario Adnet violão, percussão, arranjo
    Cláudio Wilner bateria
    Fábio Girão baixo
    Jaques Morelenbaum cellos
    Marcos Amma percussão
    Waldemar Falcão vento
    Mario Adnet, Lenine, Lula Queiroga, Tadeu Mathias, Pimpim, Caita Adnet, Maurício e Margarida Vianna coro

  5. Pim pim (Mario Adnet)

    Pim pim

    (Mario Adnet)

    Ficha técnica

    Mario Adnet violão, arranjo
    Nando Carneiro juno 60 (sintetizador)
    Rodrigo Campello guitarra
    Jaques Morelenbaum cello
    Marcelo Bermardes flauta
    Waldemar Falcão flauta

  6. Por cima de mim (Mario Adnet/Xico Chaves)

    Por cima de mim

    (Mario Adnet/Xico Chaves)

    Ficha técnica

    Mario Adnet violão, arranjo
    Nando Carneiro juno 60 (sintetizador)
    Rodrigo Campello guitarra
    Jaques Morelenbaum cello
    Marcelo Bermardes flauta
    Waldemar Falcão flauta

  7. Noites de Medéia (Mario Adnet/Rodrigo Campello)

    Noites de Medéia

    (Mario Adnet/Rodrigo Campello)

  8. Ele não tá nem aí (Mario Adnet/Rodrigo Campello)

    Ele não tá nem aí

    (Mario Adnet/Rodrigo Campello)

    Ficha técnica

    Mario Adnet (capitão) voz, violão, arranjo
    Tuti Moreno bateria, percussão
    Hugo Fatoruso piano fender
    Fábio Girão baixo
    Marcelo Bernardes sax soprano
    Beth Goulart, Pimpim, Muísa Adnet e Margarida Vianna (sobrinhas do capitão) coro

  9. Pra joana (Mario Adnet/Rodrigo Campello)

    Pra joana

    (Mario Adnet/Rodrigo Campello)

    Ficha técnica

    Mario Adnet voz e violão
    Pimpim voz
    João Bosco piano fender
    Waldermar Falcão flauta em sol

Ficha técnica

Direção de Produção Mario Adnet e Waldemar Falcão
Direção Musical Mario Adnet
Assistente de Produção Mariza Campello Adnet (Pimpim)
Engenheiro de gravação e mixagem Waldemar Falcão
Mixagem Waldemar Falcão e Mario Adnet
Auxiliar de mixagem e montagem Billy
Corte Ivan Lisnik
Prensagem Polygram
Programação gráfica e ilustração Elodesign Studio (Yuka Parkinson e Al McAllister)
Encarte Mario Adnet e Elodesign Studio
Gravado no Estúdio Serapis Bey (8 canais) em Setembro de 1983
Mixado no Estúdio Transamérica RJ em Outubro de 1983

Mario Adnet é um compositor extremamente original. Mesmo quando trafega por gêneros de certa maneira cristalizados, como o frevo, o bolero, a toada, a música de Mario possui sempre as audácias de sua imaginação harmônica e uma psicologia da composição pessoalíssima. Em outras palavras, o Mario tem estilo. Mas isso não teria a menor importância se as suas canções não fossem capazes de fabricar o sonho e o encantamento.

Geraldo Carneiro

Minha relação com a música não é de crítica nem de criadora. Quer dizer, não sou profissional do ramo, mas apenas uma ouvinte apaixonada e exigente. Nessa condição é que curto muito o trabalho de Mario Adnet, desde que o ouvi pela primeira vez há alguns anos. Por uma razão muito simples: ele tem talento. E por uma razão muito sutil: a música dele ao mesmo tempo dá duas sensações magicamente opostas. Por um lado, a certeza de que nunca se ouviu nada daquilo antes. Por outro lado, a impressão de que é um padrão, um modelo, um arquétipo do que é música. Um tecido sonoro onde o clássico e a vanguarda se encontram, o popular e o erudito confluem, ou seja, um território musical de sustança, onde adjetivos são inúteis.