Um encontro comovente em homenagem a Moacir Santos

O Festival Moacir Santos aconteceu no Teatro Santa Isabel, no último final de semana (02 e 03 agosto), em Recife. O festival contou com a participação de músicos nacionais e internacionais e com mesas redondas durante o dia e dois shows durante cada noite.

 

Mario Adnet se apresentou na segunda noite do festival com a banda Ouro Negro, projeto iniciado desde 2001, que conta com 18 temas de Moacir arranjados por Mario Adnet e Zé Nogueira.

 

O Quarteto Coisas abriu a segunda noite de apresentações. O grupo é composto por Maurício Carrilho (violão), Marco Cesar (bandolim), Paulo Braga (piano) e Andrea Ernest Dias (flauta), curadora do festival.  A ideia surgiu da tese de doutorado de Andrea, baseada na obra de Moacir Santos. Além de curadora, Andrea é flautista e produtora, integrante da Banda Ouro Negro e do Quarteto Coisas, criado especialmente para este festival.

 

Após sua apresentação, Mario  revelou sua alegria e emoção após fazer homenagem ao maestro:

 

“Muito emocionante o encontro de tantos talentos reverenciando o querido Maestro Moacir Santos em seu estado natal.

Estar próximo a pessoas que conviveram com ele, tanto de Recife e do sertão de Pernambuco, quanto dos Estados Unidos, foi uma experiência inesquecível.

Depois de 12 anos do projeto Ouro Negro, tenho a certeza de que Moacir Santos é uma COISA eterna e que muitos encontros como esse acontecerão em torno dessa alma tão generosa e genial. Salve Moacir!”

 

Composições e passagens desconhecidas foram reveladas ao público durante as apresentações. O Festival Moacir Santos apenas comprovou a universalidade do trabalho do maestro, trazendo múltiplos olhares sobre sua obra.

 

Veja como foi o evento no álbum de fotos no Flickr!

 

 

Comentários fechados.